2012-09-25

house of cards

and just when one needs to listen to that ONE song, one's iTunes' shuffle brings it up.

just like that, bringing kiddie's smiles up and all over the place.

(even though it's radiohead and very utterly sad... :)

2012-04-20

shakespeare as i heard him in my mind:


doubt thou the stars to be fire;
doubt thou the sun doth move:
doubt Truth to be a liar -
but never doubt my love


(my love for you, love ) /

[never doubt, love, my love /
 doubt not it; ever, dear]


and it goes on.


=> the original, for comparison purposes...:


Doubt thou, the Starres are fire,
Doubt, that the Sunne doth moue:
Doubt Truth to be a Lier.
But neuer Doubt, I loue.


c

2012-03-20

loud

too loud.


too all-encompassing.


too-too.


world. hold on.


it's always been a fraud.


c

2012-03-11

good-bye

utter forgetness


yes: FORGETNESS.


not forgetfulness.


i'd have it be both.


c

2011-08-17

just florence

and I never wanted anything from you
except everything you had (...)


and what was left after that too


c

2011-08-06

loss

and again, there are no words.


just excruciating feelings, driving one all and every single wrong way possible.


yet to hurt: is it not valid?


how to feel it without undoing it?


how to wish and despair... ?

2011-06-08

there is

the self that is never lost.


as it should not ever be.


and there's suffering.


so much, so bad, so... continuous.


may it be in the interest of good.


the best.


it is what i am hoping for.

2011-03-31

cherished

words o' mine
where art thou?


(...)
lying in wait for those that wish to come to my fingers.

2010-10-30

path

...) still, as always


knowing not what it should be.


or what it is.


shying away from acknowledging anything.


and everything.

2010-10-15

lost

when, how, and where.


the main questions, the main answers.


it'll all answer itself.


eventually.

2010-05-14

30

o povo fala tanto que vai ter crise, que vai ter doidera, que vai ter agonia...


fora os questionamentos do dia-a-dia que se devem a qualquer estrada -bem-ou-mal- trilhada, os 30 são mais é lindos de ser. 


talvez, como disse a amiga, os 30 de ontem sejam os 40 de hoje. estaríamos procrastinando a doidera?

ou, como pode se estruturar o meu caso,a doidera já foi tão exaurida ao longo desses 30 todos que ao chegar neles, há-se uma leveza pairando, esperando pra querer acontecer.


apesar do liseu, daquela que vai ser eterna - a indecisão - das dores e frustrações...

somos quem fomos e quem seremos. somos quem somos, nessa gota serena.


eu quero mais é sorrir.

2010-04-27

you know...

sabe quando lhe dizem?
que avisam um negócio...  ?

quando você ouve, desouve e deixa de pensar.

pois pronto.

um tabefe, um tapão...

só assim, mermo.

to wake from one's sleep. and possibly try to keep.

something. or to stay awake.

tabéfe, babe.

2010-04-24

at a loss

can't be saved.


confusion never stops.


retrieval.


bring me my ocean.


have my light shine.


once.


at once.


again.


maybe for the first time.


maybe.

2010-04-23

to dare

i seem to think i am, or have always been, somewhat of a daredevil.

in sooooo many senses.

it is fact, though. not merely a fabrication of a mind that desires to be as free as it can.

so many aspects where i can fly by, through, push the limits... and it may hurt or caress, cause laughter or tears... i don't shy away. i like to go for it. i do, too much. people judge, i don't really care. i deal. it all becomes a part of me.

yet there's one where i have tried, succeeded and failed, yet not been able to handle the consequences of anything different than what i aimed for. and that's where i eventually still try to not give too much importance to pre-defined facts... but i know i shouldn't. 'cos i'll just throw all of myself into whatever it is all over again -- and not be able to sail through the consequences unharmed. it would become a part of me. but at too high a price.

it damn hurts to realise that there are some things that one just isn't made for.

i guess this is the most personal post in years to surface here. or, at least, the most understandable personal one. all of them are, but more cryptic. [more cryptic that THIS one, maybe??]

i guess i just needed to vent a little. frustration makes me want to scream.

and now i believe i'll try to sing. and envision steps to bail on that which i know will make me suffer too long, too hard and too many toos to risk not thinking about them.


yep.


denial.

2010-03-17

happiness is relative

just because...

I was happy in the haze of a drunken hour
But heaven knows I’m miserable now

I was looking for a job, and then I found a job
And heaven knows I’m miserable now

In my life
Why do I give valuable time
To people who don’t care if I live or die?

Two lovers entwined pass me by
And heaven knows I’m miserable now

I was looking for a job, and then I found a job
And heaven knows I’m miserable now

In my life
Oh, why do I give valuable time
To people who don’t care if I live or die?

What she asked of me at the end of the day
Caligula would have blushed

Oh, you’ve been in the house too long she said
And I (naturally) fled

In my life
Why do I smile
At people who I’d much rather kick in the eye?

I was happy in the haze of a drunken hour
But heaven knows I’m miserable now

Oh, you’ve been in the house too long she said
And I (naturally) fled

In my life
Oh, why do I give valuable time

2010-02-10

final stop

she wants it no more.


and why is it always about that woman?


why does she not want it anymore?


why might she allow herself to want again?


she's undecipherable. she's weird.


she's just a construction.


as are we all.

2010-02-03

who

is she?

she might know, added to what she might have known.

which means she knows not.

still looking.

searching.

wondering.

wandering.

wavering.

wavering a whole lot.

2010-01-14

oh,

yes.

she'll still keep her distance.

a one which will go on indefinitely

up until...

up until.

[damn, there's no answer!!]

2010-01-13

i

would very much like a shoulder to cry on right about now.

i don't know exactly why.

i never did.

never do.

loss.

maybe?

some part of my own self that used to be lighter.

and -right about now- is too heavy to go unnoticed.

it has its weight variances...

it will get lighter.

i know.

but the now in which i find myself,

the now which is my present truth,

bears me down.

light is upon me, in just a few hours.

i guess i'll just wait for it.

and act on it.

2009-12-13

she'll

always believe.
she'll believe forever.

& she'll believe IN forever.

cos it's fun.

it's happy.

it is to be.

it just is.

2009-12-09

freedom

to be thrown into the garbage.

f*ck freedom.

the hell with freedom.

she needs to not cry anymore.

2009-12-04

past

future?

sort of?

kinda?

she knows not.

NOW?

what is now?

is now ever?

is the now the eternal circumstance of ... just now?

she wants more.

she wants now to be now,

today.

tomorrow.

yesterday.

maybe the day which could not be...

and stuff.

2009-10-22

dreamers

who are you?
what are you living for?

think about it, even though life might be unkind.

and then, wrap yourself around me
.

2009-10-20

it

used to be about

faces, traces, laces... races

or

food, heat, cold... survival

even

concrete, abstract, romantic.... contemporaneous

and now...

we just don't know.




2009-05-14

our

choices

bring us to where we stand now.

all of them.

choosing to believe in something is pure and magical.

until it is not anymore.

i don't regret.

but i hurt.

i hurt too much.

2009-05-09

why

is it that it's always about ourselves?

when does it stop?

or does it?

and i know that there are all of the ulterior and selfless and explainable circumstances where we can deconstruct that...

but can we? really?

so sometimes i just wish i could relay.

relay.

and lay.

and reeeeeeally find the light of day.

2009-01-24

some break

some stay.
some go.
some play.

alight
reorder
blink
stay away?

we're all that one.

2008-10-22

point

less

or

ful?

as is frequent,

i'm getting tired, and i need somewhere to begin.

2008-10-14

spiralling

I'm waiting
For my moment to come
I'm waiting
For the movie to begin
I'm waiting
For a revelation
I'm waiting for someone
To count me in

Cos now
I only see my dreams
In everything I touch
Feel their cold hands on
Everything that I love
Cold like some
Magnificent skyline
Out of my reach
But always
In my eyeline now

(...)

I fashioned you
From jewels and stone
I made you
In the image of myself
I gave you
Everything you wanted
So you would never know
Anything else

But everytime
I reach for you
You slip
Through my fingers
Into cold sunlight
Laughing at the things
That I had planned
The map of my world gets
Smaller as I sit here
Pulling at the loose
Threads now

(...)

Did you wanna be a winner?
Did you wanna be an icon?
Did you wanna be famous?
Did you wanna be the president?
Did you wanna start a war?
Did you wanna have a family?
Did you wanna be in love?
Did you wanna be in love?

I never saw the light
I waited up all night
But I never saw the light

When we fall in love
We're just falling
In love with ourselves
We're spiralling
We're tumbling down
We're spiralling
Tied up to the ground
We're spiralling

2008-07-14

family

























quando se junta um monte de gente desse, com esses sorrisos abertos desse jeito, não tem como não sorrir de volta.

aí somos os meira, com um dedinho de betmann, e larry misturado também. família cheia de dentes - e de energia.

amo demais

2008-07-10

blood

flowing freely through veins,
life pulsating,
agony and bliss,
horizon and free falls

i love living.

2008-07-09

some

things are just meant to be.

problem is, sometimes we can't discern them from those that aren't quite but we wish were.

long time no see from me around here, and there i come back with cryptic messages... guess it couldn't be different, since i am cryptic to myself above all...

good to be back, though

2007-08-17

p.s.

hoje é o dia de dida. pessoíssima que me faz ser o que sou hoje, e que ue não postei no lugar um do dia 17 pq eu acho que ela nasceu lá pelo meio do dia. e pq eu nao tenho uma foto ainda. mas jaja essa foto aparece por esse mesmo post...

enough

is enough. about as much as anyone can get.

2007-07-06

marina

la gallega, amada amante.
sempre longe, sempre perto...

o último aniversário recifense foi em 2002.

de resto, o mundo é mais bonito e melhor desde este próprio dia há 26 anos.

2007-05-10

então,



















neste momento, ela completa 27 anos de nascida.

feliz começo do vigésimo oitavo ano.

2007-03-18

twin


sometimes one just has to try and stop running around in circles.

not that easy to accomplish... but peace of mind much sought lies within.

where lies the difference between yourself and that so identical reflection? the one that looks back with inquiring eyes and the restlessness of a heavy soul?

maybe under the green hat.

2007-02-27

as azevedos

a meira e a maria



numa época em que os cabelos ainda eram iguais

2007-02-23

então

os clarins cantaram
os batuques bombaram
os pés frevaram

a euforia subiu
o suor escorreu
a felicidade se tornou onipresente

rostos pintados
corpos adornados
almas em êxtase

foi carnaval
é carnaval
sempre

2007-01-31

drummmmmmaster

eu gostaria de mostrar pra vocês uma pessoa chamada joe tocando bateria. com uma ajudinha de um outro negócio chamado uka.

2007-01-30






eu sempre acabo achando pouco... devia ter muuuuuuuuuuito mais! porque é bom demais. pense numa felicidade ao reverenciar o tal do estandarte vermelho e amarelo. saí da festa parecendo que tinha tomado um banho de bica. hehe

2007-01-23

circunstâncias

tem umas coisas na vida da gente que são adiadas indefinidamente.

desculpas, promessas, aquela resolução de ano novo, aquele desabafo sobre o tal do negócio que tá nos fazendo mal...

algumas por 10 anos, outras por 10 dias, outras por 10 meses, outras por 10 minutos.

algumas delas suportam os dez anos a que são submetidas em reserva, outras aguentariam até dez décadas, caso o nosso span de vida suportasse tal espaço de tempo -- mesmo que passem queridas e não cumpridas por vezes, o momento em que vêm é sublime, pelo simples fato de elas terem vindo. ou celebrado; por terem demorado demais a vir e finalmente seu valor reconhecido por aquele que tanto as adiou.

já outras não podem ser adiadas por meros dez segundos, que geram um rombo homérico e quase imperdoável ao seu redor. a atenção circunstancial, o cuidado pontual; aquele que envolve o outro -- é um tal de um negocinho sorrateiro. qualquer deslize pode ser uma bomba atômica no seu pé ou no pé daquele outro que você ama tanto.

por isso que é tão bom presenciar a chegada da atenção, a percepção do sinal, o funcionamento azeitado da máquina. quando o que poderia ser adiado não o é, ou o é pelo exato tempo de expiração que ele poderia ter -- que às vezes a gente precisa mesmo de um segundinho pra conseguir dar o passo em direção à coisa certa.

o tal do funcionamento humano é complexo pra caramba. no geral, a grande figura, e nos detalhes. mas uns dois detalhezinhos bem cuidados podem simplificar colossalmente a intricação geral.

2007-01-04

2007



cara de primeiro dia do ano, vontade de ano presente ser tão bom que chega vai doer, felicidade pelo ano que passou ter trazido um monte de coisa massa.

e então foi isso, começou.

2006-12-25

i feel good

he didn't, so much. and there goes james brown at 73.

others come along.

and so life goes on.

and christmas was beautiful, so happiness is due.

p.s. será que ele e sivuca combinaram, pra fazer um som muito louco??

2006-12-14

meses depois...

e eu ainda nao sei o que escrever. são fases da minha mente. as coisas acontecem que só, mas o meu poder descritivo e escritivo não se manifesta. gente chegou do além-mar, gente foi pro além-mar, eu já comecei a nadar de vez em quando e quando em vez, a casa vai se preparando pro novo morador, o fim do ano vai chegando de novo... e eu nada. normal. mais tempo, please.

2006-10-30

strip




eu acho que eu seria muito deprimente como quadrinista. momentos peanuts eternamente charlie brown, mafalda com sopa, garfield em segundas-feiras, calvin e moe... sem contar que de forma críptica e sem nem um tiquinho da graça sarcástica que vem embutida.

é, dou pra isso não.

para os seus próprios strips, comic ou não, vão
aqui. muito legal.

2006-10-27

ablí

ablá
abló
e ablu

conversar assim,

desse jeito, é sempre o melhor remédio.

2006-10-23

estranha mania

de revisitar e continuar;
de olhar pra trás e ver que ainda tem muito pela frente;
de cantar pra continuar sorrindo;
de dançar pra continuar vivendo;

de sentir para SER, sempre.

aprendido tiquinho por tiquinho ao longo de uma vida e em constante continuidade.


2006-10-19

da próxima vez,

eu vou fazer que nem diana. esse negócio de começar a assistir um seriado enquanto ele ainda não chegou ao último capítulo é muito frustrante. e lá vai mais uma semana inteira de espera por mais míseros quarenta e um minutos. saco.

estou falando de lost, pra variar.

eu quero ver como vão construir a pré-historia desses novos personagens que tão surgindo por aí. lembremos que tem mais umas quarenta pessoas na ilha, que não apertando botões ou correndo atrás de walt, deviam estar lavando a roupa do resto da galera que tem air time privilegiado. ou coçando mesmo, talvez até de pirraça: todos se esconderam, já que os super-master-fodedores são jack e locke e ninguém mais pode fazer ovos com a mesma eficiência. melhor nem tentar e ficar curtindo o visual tropical e pá. hehe. vamo ver se rodrigo santoro tem mais do que 2 segundos de air time no próximo capítulo.

2006-10-14

e então

se fez a muleta.

ou teria sido a bengala?

aquele que andava de quatro patas pela manhã, duas ao meio-dia e três à noite... me parece ter usado como terceira perna uma bengala, não?

bien. oráculos de delfos e esfinges à parte, no meu mero-não-mitológico caso, é uma muleta, mermo. até porque a noite não chegou ainda.

é que quando ela chegar, vai ser de salto 12.


2006-10-04

mil


metros de orelha.

ao invés de jack, a gente devia ter nomeado ele dumbo. mas aí não ia ter graça quando a gente arranjasse uma cadelinha, pra ficar joe, jack and jill. hehehe.

o menino tem 2 meses de idade, aí tá todo molinho ainda. fica se estabacando nas próprias orelhas. segue ele conversando com joe, o irmão adotivo mais velho.


jack

são muitas emoções.

depois de muito pouca consideração a respeito do assunto, resolveu-se realizar mudanças no dezessetedeagostodezoitomeianovecentoeumA.

poderia se pensar ser apenas a troca do quadro da parede da sala. que de um quebra-cabeça de 5000 mil peças passou a outro de 3000 apenas, que combina mais com o esquema decorativo do ambiente. já o de cinco mil virou o tampo da mesa da sala. hehe. grande migração.

ou talvez o colchão do meu quarto, que voltou ao chão, sendo assim muito menos carrasco com a minha pobre coluna vertebral. ele tava se equilibrando amarrado conjuntamente com outro (ambos de solteiro) em cima de uma cama de casal mais estreita do que a soma dos dois. ou seja, passei um tempo dormindo pensa. explicativo: a dita cama de casal tem um colchao horrívio e é estreita, mas apareceu de herança e eu fiz um test drive com esta teoria amarrativa. que comprovadamente não funcionou, então o colchão volta ao chão até eu ter grana pra comprar uma mega-king-master-hiper-plus-super-size cama de casal.

considerando que a mudança da qual falo eu não é nenhuma das acima referidas, devo reentitulá-la. talvez novidade adicionada. é, melhor: 'resolveu-se adicionar novidades ao dezessetedeagostodezoitomeianovecentoeumA.' graças à impulsividade de saraivathiago.

aguardem que eu posto uma foto assim que a novidade chegar saltitante ao lar.

2006-09-28

era uma vez

cecília.

ela nasceu de gracia mais silvio em 1980.

aí gracia e silvio foram morar na inglaterra com cecília, a rainha da cocada preta. dona do pedaço.

o tempo passou e gracia e silvio resolveram que uma pessoinha a mais seria interessante.

aí, de silvio mais gracia, nasceu diana, na inglaterra, em 1983.

e cecília, coitada, não mais era dona do pedaço.

(eu acho que cecília fez muitas coisas horrorosas com diana ao longo dos anos das quais ela não se lembra. de outras, bem aterrorizantes, ela lembra sim.)

aí, o tempo passou, cecília se acostumou com a não-mais-dona-do-pedaçozisse dela e cecília e diana foram duas irmãs felizes (quase sempre) por 18 anos.

o mundo tendo dado aquelas voltas que só ele dá, silvio não mais era mais gracia, mas sim mais kátia.

e de silvio mais kátia nasceu pedrinho, em 2001. mais especificamente no dia vinte e oito de setembro.

e veio pra ser o dono de todos os pedaços e fazer de cecília e diana duas irmãs mais felizes ainda, porque agora elas eram dois terços de um inteiro arretado.

cinco anos depois a gente se ama que só a gota e tem muito o que ser feliz demais ainda.

e feliz aniversário pra dedinho.




2006-09-27

quase-mãe

olhem...

eu não pretendo ser mãe de um cero maninho nem tão cedo, mas sou louca por crianças. incluindo nesta categoria o meu pequeno ser canino, joseph johannes-brannes-brannes (originalmente joe, mas totalmente esquizoideado uma vez convivendo comigo, thiago e leo, que o chamamos por um novo nome a cada dia).

dentro da função quase-materna, existe uma rotina a ser seguida, para garantir o bem estar do menino cão. esta envolvendo duas descidas por dia e suas respectivas mijadas, cagadas (seguidas do cívil recolhimento do tolête), umas corridas pra lá e pra cá e a subida objetivando a alimentação animal.

o que merece um parágrafo à parte: joe parece um cachorro, mas no fundo é um peixe. se tiver comida disponível e ao alcance, nem se preocupe que ele vai comer tudo, absolutamente tudo. morre pela boca o tal do peichorro. cebola crua, azeitona com caroço, limão, tomate, kiwi, ovo cru - com casca... o que quer que caia no chão da cozinha esteja eu cozinhando (ou não) em questão de segundos o joespirador deglute.

o que nos traz ao acontecido de hoje: quando eu fui dar a ele o usual biscoito pós-ração, a pessoa me sai correndo desembestada e enlouquecida em direção ao dito cujo e no processo tem uma unha arrancada pela raiz ao tropeçar na grade do cercadinho dele próprio.

pense numa correria do meu próprio ser quase-mãe. sangue pra todo lado, o bichinho patinando e eu naquela preocupação só. aí lá me vou eu limpar, antiseptizar, pomada pra cima, fazer curativo, (limpar a casa inteira de novo também, que tinha sido dia de faxina e estava agora o chão parecendo um espelho de xarope de cereja) e, finalmente, levar ao veterinário.

outra dor no peito, rapaz. se bem que eu fiquei muito orgulhosa de mim mesma porque o meu curativo foi efusivamente elogiado. mas lá se vai ter que tirar, mexer... ouvir o filho gritando que só a gota serena de dor... pense numa quase-mãe com o coração do tamanho de uma ervilha.

o que me leva a pensar em quando os cero maninhos que nos tornam mães e pais de verdade levam aquela queda que precisa de 4 pontos no queixo, quebram o braço, danam o cabeção no chão e chegam com a cara vermelha de sangue sem saber porque tá quente na testa... é muito amor, viu? é amor pra querer tar você no lugar daquela pessôya aguentando mil vezes mais dor só pra não ter que ver aquele sofrimento todo.

chegando à conclusão de que eu acho massa ser cero mano. tenho certeza que vou achar foderoso ser mãe (apesar de ter certeza que vou ser uma mãe bem maloqueira). e amo demais ser irmã, amiga, filha, namorada e tudo mais que a minha cero manidade me permite dentro das relações humanas. isso porque eu admiro pra cacete o surgimento desses sentimentos que demonstram que a humanidade é capaz de amar de verdade, de ser altruísta, de se preocupar com outro. e não necessariamente precisando esse outro ser quase-filho ou filho, ou pai ou mãe. é simplesmente um outro cero. é saber que se o sentimento surge, e se surge de mim, surge do outro cero mano e o mundo tem salvação.

hehehe

segue o meu menino debilitado.


2006-09-14

Run for Your Life! It’s the 50 Worst Songs Ever!

Some have crap-tastic melodies. Others are wretchedly performed. And quite a few don’t make any sense whatsoever. Blender removes its earplugs to present the 50 tunes we love to hate.

também tem os 50 worst artists in music history, as 50 worst things ever to happen to music, os 50 most awesomely dead rock stars e as 50 dumbest rock-star extravagances. tudo extremamente ácido e sarcástico, com uma cambada de coisas que não dá pra concordar com no meio da desceção de sarrafo, mas dá pra rir até umas horas. mini exemplo:

AIR SUPPLY
The sound of eunuchs sobbing
Disproving the theory that lightning never strikes twice in the same place, Air Supply contained not one but two mewling, lovesick softies whose name was Russell. In the early ’80s, the Australian duo’s gutless ballads — music so remorselessly fey it made Journey sound like Danzig — sent a generation of jilted lovers toppling into depression that was as clinical as the Russells’ music. Mercifully, though, by the end of the decade, the pair had cried themselves to sleep.
Appalling fact Determined to ruin the festive season, Air Supply once recorded a Christmas album.
Worst CD The Christmas Album (Arista, 1987)

2006-09-02

dark

prospects
views
feelings

bleakish
distraught
unfocused

unmake
undo
untry

?

try
walking forward
looking ahead
living the future

which is in the

present.

2006-08-03

nasceu



outro pontinho de luz, pra brilhar bem muito.

bem vinda, lulu.

2006-07-26

este é



pedro.
ou dedo.
dedinho.
zezé.
petrópolis.
pedronildo.
nego preto.

um negocim que entrou na minha vida 21 anos depois. uma maioridade inteirinha, vê!

e pense num caba bom.

foi a outra nega boa da gota que me inspirou hoje. essa
daí que entrou no sarapatel 3 anos e pouco depois. espaço de tempo que proveu suficientes e numerosos cacetes ao longo da história... só pra gente entender exatamente o que é ser louca uma pela outra :).

2006-07-20

sim,

eu tomo chá.

depois de muito tempo frescando, dizendo que não gostava, declinando as ofertas da minha linda amiga ino, que toma trocentos litros de chá todos os dias, eu entendi qual a graça do negócio. precisou eu passar de volta pela inglaterra e tomar chá da tarde, chá da manhã e chá da noite (e olhe que foi earl grey, que eu abominava) pra fazer o negócio registrar no meu sistema. sabe quando você é convidada pro 5 o'clock tea na casa da tia do seu host? com crumpets and pies e tudo mais? não dá pra ser fresca e não tomar. ou então quando você dorme na casa da sua amiga de longa data e ela te oferece chá de manhã também, junto com marmite and toast. tipicamente inglês... aí você toma de novo... e gosta! no milk or sugar, though.

aí de volta à terrinha, ainda teve que rolar uma gripe pra eu testar o negócio de novo, e de repente a felicidade se fez no meu ser. agora não pode ser mate leão nem camomila nem erva doce que eu continuo achando terrível.

mas eu descobri que a dr. oetker tá fazendo uma imitaçãozinha de earl grey que funciona bem pra danado (chá inglaterra, hehe) e tem uns flores e frutas que são massa também. fora um apple crumble e outro irish cream que eu tinha trazido dazorópa pra mãe e pro pai que eu vou arregar agora.

é, menino. a nega aderiu.

2006-07-10

desencantei!


finalmente um time pelo qual eu estava torcendo ganhou! melhor ainda que foi a final da copa. nos dias que eu tava torcendo contra alguém, esse alguém ganhou; todo mundo torcendo pra portugal e eu pra inglaterra, e, obviamente, a inglaterra perdeu. quando eu resolvi torcer pra portugal, o bichinho perdeu.... foi uma bagaceira. eu já tinha torcido pra itália na semi, mas vibrar com o tetra da azurra foi arretado. gostei, taí!

2006-06-29

o método

eu me emociono profundamente com a constante renovação das pesquisas científicas e reestabelecimento de seus resultados. me faz voltar um pouquinho pra época em que eu queria ser uma doutouranda em nem lembro mais o quê só pra poder me utilizar da lógica articulada de argumentos bem embasados num determinado campo de atuação. é lindo.

"The genius of the scientific method, however, is that it accepts no permanent solution. Skepticism is its solvent, for every theory is imperfect. Scientific facts are meaningful precisely because they are ephemeral, because a new observation, a more honest observation, can always alter them."

este texto é um excelente exemplar em si mesmo e pelo conteúdo que descreve. vale a pena.

2006-06-17

and then

it suddenly turns sour
wept upon
hurtfuly analysed

still

it is

mine. my own.

up until when, under these circumstances, i wish it to be so.

2006-05-19

what

the hell is the meaning?

yes i have.

been good,
been searching,
been trying...

maybe one just has always to try harder.

that i have to.

i still have to.

2006-04-24

é muito feliz quando um bando de gente querida que fazia era tempo que num se juntava de repente se encontra repetidas vezes nos mesmos lugares. sem querer querendo, de poprósito, despoprositadamente. é bom dimái.

2006-04-21

tempo

faz uns centos anos que eu nao escrevo neste lugar. perguntaram-me se eu tinha desativado o blog, o que não é o caso. processos que me levam desde a ter preguiça de escrever, passando por falta de inspiração ou inspiração demais e falta de tempo deixam esse vácuo presente no momento. mas eu vou me esforçar um tiquim a mais. aguardem. :)

2006-02-25

daqui

a pouquinho tão saindo do amparo.

aquela melée de gente de vermelho e amarelo, seguindo um dragão; um estandarte trazendo uma orquestra e mais uma ruma de gente atrás. uns que ainda têm energia pra segurar a gota do sambão ou o danado do frevo; outros que tão esperando chegar na sede pra dar o sprint final. aí vão passeando um pouco pelas ruas do caminho de volta, caminhando em paz pelo bonfim.

todos que amam achar é pouco. e acham é pouco porque sabem que tem uma mágica que só acontece ali, naquele segundo antes da grandiosa porrada no bumbo, naquela faísca de carnaval que se torna incêndio quando os metais se colocam pra gritar. tá no ar.

eu tou de longe, mas é carnaval.
dentro de moi aussi.

eu acho é pouco.
é bom demais.

2006-02-02

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

faltam 3 dias, faltam 3 dias, faltam 3 dias.

e nada de mala pronta ainda! ARGH!

vou ter um faniquito, vou ter um faniquito, vou ter um faniquito!

mas não hoje que é aniversário de painho.

2006-02-01

um

doze-avos

um doze-avos do ano já foi embora. pense num negocinho pra escorrer entre os dedos da gente, o tal do tempo.

2006-01-16

haze

alguns sonhos demoram pra caramba pra se tornar realidade.
alguns nem chegam perto disso.

alguns são tão simples, outros tão inatingivelmente absurdos.
mas a concretização, quando acontece, é über, all-encompassing, mais do que completa. simplesmente porque aquilo ali era um sonho. independente de ele vir meio capengamente.

somam pra isso a antecipação, a preparação psicológica, as toneladas de lenha que você foi juntando ao longo dos anos pra jogar na tal da fogueira -- a concretização que pôde ser preparada. bem, a não-preparada é tão foda quanto, mas te atacando de outra forma, te trazendo o feeling sob outra luz. anyway. sonhos.

i dream now of the angel

Main Set List

SET 1

  • Intro
  • A Pain That I'm Used To
  • John The Revelator
  • A Question Of Time
  • Policy Of Truth
  • Precious
  • Walking In My Shoes
  • Suffer Well
  • Damaged People
  • Home
  • I Want It All
  • The Sinner In Me
  • I Feel You
  • Behind The Wheel
  • World In My Eyes
  • Personal Jesus
  • Enjoy The Silence encore
  • Somebody
  • Just Can't Get Enough
  • Everything Counts encore #2
  • Never Let Me Down Again
  • Goodnight Lovers

SET 2

  • Intro
  • A Pain That I'm Used To
  • John The Revelator
  • A Question Of Time
  • Policy Of Truth
  • Precious
  • Walking In My Shoes
  • Suffer Well
  • Macro
  • Home
  • I Want It All
  • The Sinner In Me
  • I Feel You
  • Behind The Wheel
  • World In My Eyes
  • Personal Jesus
  • Enjoy The Silence encore
  • Somebody
  • Just Can't Get Enough
  • Everything Counts encore #2
  • Never Let Me Down Again
  • Goodnight Lovers

SET 3

  • Intro
  • A Pain That I'm Used To
  • John The Revelator
  • A Question Of Time
  • Policy Of Truth
  • Precious
  • Walking In My Shoes
  • Suffer Well
  • Damaged People
  • Home
  • I Want It All
  • The Sinner In Me
  • I Feel You
  • Behind The Wheel
  • World In My Eyes
  • Personal Jesus
  • Enjoy The Silence encore
  • A Question Of Lust
  • Just Can't Get Enough
  • Everything Counts encore #2
  • Never Let Me Down Again
  • Goodnight Lovers

2005-12-27

the

image of myself which i try to create in my own mind in order that i may love myself is very different from the image which i try to create in the minds of others in order that they may love me.

W. H. Auden 1907-73: The Dyer's Hand (1963)

2005-12-16

what

power would hell have if those imprisoned there could not dream of heaven?

2005-12-14

mold

needing to vent a little bit more, thoughts are slipping through the cracks of time.

2005-11-24

contando

calorias.

eu cheguei à conclusão de que paz de espírito/euforia/felicidade não eliminam o poder engordativo dos alimentos.

crente que o céu era perto, passei os últimos dois meses na esbórnia, sem fazer exercício nenhum, pra ajudar a natureza no seu jogo gravitacio-engordacional. resultado? de tantos guaiamuns, choppinhos e caldinhos de feijão? 5 amigos a mais na balança, pra conversar comigo e com a maldita [eu sou daquela série de pessoas: 'eu converso com a balança' - na verdade eu a xingo, quase sempre].

o que significa, jaqueira: me aguarde. amigos glicosados ao extremo: adeus, nos vemos num futuro distante. h2O e coffea arabica: welcome and be always around...

2005-11-19

to live

"[...]

no one wants to die. even people who want to go to heaven don't want to die to get there. and yet death is the destination we all share. no one has ever escaped it. and that is as it should be, because Death is very likely the single best invention of Life. it is Life's change agent. it clears out the old to make way for the new. right now the new is you, but someday not too long from now, you will gradually become the old and be cleared away. sorry to be so dramatic, but it is quite true.

your time is limited, so don't waste it living someone else's life. don't be trapped by dogma — which is living with the results of other people's thinking. don't let the noise of others' opinions drown out your own inner voice. and most important, have the courage to follow your heart and intuition. they somehow already know what you truly want to become. everything else is secondary.

[...]

stay hungry. stay foolish."

steve jobs, CEO of apple computer and of pixar animation studios

(excerpt from the commencement address delivered on june 12, 2005 @ stanford university)

2005-11-15

ah,

the burden of recurring losses
the weight of intrinsic suffering

the thrifty understanding that makes us revel in a sea of woe

angst, be thou gone

2005-10-30

i quote

um texto de rubem alves que fala sobre o "silêncio não-constrangedor".

ao lado de certas pessoas, pode-se ficar a vida toda sem se dar um pio, sem constrangimento algum.

the comfortable silence. i rejoice in it.

2005-10-27

past

either
feel, act - crazy, not think
or
feel, act - crazy, think, do nothing about it

present

either
feel, act - crazy, think, act accordingly
or
feel, think, act accordingly

future

neither eithers nor ors.

feel, think, act accordingly.

something to that effect. not dogmatic, though. adjustable. there are also more variants, but i simply am, at the present moment, incapable of ellaborating; shallow.

2005-10-25

carl yung

eu já usei essa frase antes. mas não custa nada repetir. se aplica a toda relação humana - a algumas... mais, e melhor. tanto pode ser no sentido nitro + glicerina como hidrogênio + oxigênio... ao analisar águas passadas isso fica bem claro. :)

"the meeting of two personalities is like the contact of two chemical substances: if there is any reaction, both are transformed."

2005-10-22

cravings

are ephemeral.

needs of soul.

they obey the rules dictated by the moment they find themselves in.

2005-10-18

there

are more things in heaven and earth, horatio,
than are dreamt of in your philosophy.

the rest is silence.

2005-10-17

boas razões

que justifiquem a pessoa estar acordada às 8 da matina há várias. inclusive muito mais válidas do que qualquer uma que sirva pra justificar que porventura você ainda esteja dormindo às duas da tarde, ou mesmo meio dia, como geralmente é o caso comigo. salutarmente, eu tou com o zói aberto a esta infanta hora; e por uma boa razão. :)

2005-10-16

2005-10-13

em homenagem

ao dia das crianças, uma ruma de gente saiu pra comemorar a criancice de espírito, auxiliados pelo direito maioridaditário de consumir bebidas alcoólicas e pela parafusa, que fez um show lindjo no madpub. com direito a saltimbancos e abumbauê.

eu, particularmente, tenho certeza de que vou ser criança para todo sempre.